O que você procura?

Comer fora de casa

Que tal levar a garotada em um restaurante para comemorar o Dia das Crianças? Nessa época, muitos acenam com promoções. E isso já pode ser um indicador que fazem parte do time de estabelecimentos kids friendly, ou seja, que estão abertos a receber esses pequenos consumidores cheios de energia. Mas, para que o programa seja uma experiência realmente agradável para a família inteira, existem outras questões que precisam ser levadas em contar na hora da escolha.

Desde que os filhos Isabela, 11 anos, e Felipe, 9, eram bem pequenos a jornalista Daniela Folloni (@dani.folloni), fundadora e gestora do site It Mãe (www.itmae.uol.com.br @itmae), inclui a ida a restaurantes na agenda de lazer com eles. “Eu e meu marido íamos não apenas em lugares kids friendly. Nossos filhos foram criados indo a bares e restaurantes. Aprenderam a comer coisas diferentes e a se comportar nesses ambientes”, conta ela.

A experiência rendeu uma listinha do que observar nos restaurantes antes de bater o martelo.  “Quando as crianças eram bebês, a primeira coisa que procurava saber era se o restaurante tinha trocador. É um conforto indispensável”, afirma. Criança faz barulho. Então, é legal encontrar um ambiente em que isso não incomode. Em um bistrô, por exemplo, que é mais silencioso, os outros clientes podem sentir desconforto com a algazarra. “Eu preferia restaurantes com mesas em áreas ao ar livre ou abertas, onde as crianças podiam sair da mesa depois de comer e brincar em volta, ao alcance dos meus olhos”, indica. “Restaurantes com área kids, de preferencia com monitores, também fazem parte da minha lista”, completa.

A empresária Gabriela Fugulin, dona da Padaria dos Bebês (www.padariadosbebes.com.br @padariadosbebes) é outra que sempre frequentou restaurantes com o filho Benjamin, 3 anos, desde que ele era bebê. Ela adotou o método de introdução alimentar Baby Led Weaning (BLW) em que é o bebê dita o ritmo de desmame. “Não usei papinhas. O Ben conheceu cada alimento separadamente. Pegava, sentia a textura, o cheiro, amassava e só depois colocava na boca”, diz ela.

Nas idas a restaurantes, ela nunca se preocupou em escolher lugares que oferecem cardápio infantil. Optava por lugares com comida confiável e o que ele podia comer dos pratos normais. Em um japonês, por exemplo, oferecia peixe grelhado. Em uma cantina, pedia um bife à parmegiana, retirava uma parte só com a carne, sem o queijo, e oferecia ao Ben. “Hoje, ele come em todos os lugares e todo tipo de comida”, diz Gabriela.

A tarefa de apresentar os mais variados sabores ao pequeno Ben rendeu a Gabriela também a ideia de montar a Padaria dos Bebês. Ela começou a fazer pãezinhos e bolos em casa para o filho, sem açúcar, sem glúten e sem lactose. Os amigos gostaram da ideia, os pedidos começaram a surgir e daí para criar o empreendimento foi um passo natural. Hoje a Padaria dos Bebês tem uma linha de mais de 20 pãezinhos a base de polvilho e legumes e bolos adoçados com tâmara e com leite vegetal, entre outros itens.

Aproveitando a experiência das duas com crianças em restaurantes, pedimos indicação de alguns lugares bacanas para levar os filhos e que podem ser bons programas para esse fim de semana especial de Dia das Crianças. Vale conferir:

Boru Sushi
Um dos grandes atrativos do restaurante é o brinquedão para receber crianças de até 8 anos de idade, que inclui piscina de bolinhas, pula-pula e espaço de desenho para as menores (até 3 anos), e que conta com monitores nos finais de semana. “Além desse espaço kids que é muito bacana, o cardápio inclui também comidinhas para a garotada”, diz Daniela. Na verdade, são porções dos pratos para adultos adaptados à fome das crianças, como temaki e combinado kids, com preços que variam de R$ 18,00 a R$ 25,00. Se a opção for pelo rodízio, o valor para crianças de 5 a 10 anos é de R$ 40,00 (menores dessa idade não pagam), e para adultos fica em R$ 75,00. www.borusushi.com.br @boru_sushi.

Braz
A maioria das crianças adora pizza. Com seis endereços em São Paulo, um em Campinas (SP) e dois no Rio de Janeiro, a Braz tem a opção de massa de fermentação natural, mais macia, elástica e saborosa. Os sabores que mais atraem a garotada são as clássicas mussarela (R$ 47,00, a individual, e R$ 75,00, a grande) e margarita (R$ 49,00 / R$ 83,00). “As crianças são bem recebidas e ganham até massinha de pizza para brincar”, diz Daniela. www.brazpizzaria.com.br @brazpizzaria.

El Tranvia
Tanto a unidade do bairro de Higienópolis quanto a do Itaim, em São Paulo, são bastante frequentadas por famílias e oferecem espaços para as crianças brincarem com auxílio de monitores. Para o Dia das Crianças, o restaurante programou uma atração especial: oficinas de slime. “E tem trocador nos banheiros”, observa Daniela. No cardápio também há pratos formulados para os pequenos, caso dos filés mignon, de frango ou de linguado, que podem vir acompanhados de arroz branco, batata soufflé, legumes na manteiga ou macarrão com molho de tomate. Custa R$ 35,00. Para os pais, boa opção é bife ancho (R$118,50). www.eltranvia.com.br @eltranvia.

Paella do Pepe
Tradicional restaurante do bairro do Ipiranga, em São Paulo, serve uma receita familiar de paella, seguindo a tradição da cidade de Valência, na Espanha, com especiarias, frango, arroz, legumes e muitos frutos do mar. “É um lugar claro e aberto, muito bom para receber crianças. Eles preparam o prato em um balcão no salão e quando fica pronto batem um sino e a gente pode se servir”, explica Gabriela. Pagando R$ 75,00 por pessoa (crianças de até 10 anos não pagam pela paella) pode se servir a vontade. Mas é necessário fazer reserva. www.paellaspepe.com.br @paellaspepe.

Pasquale
As massas feitas na casa são a atração principal do cardápio. Basta combinar o molho e a pasta de sua preferência. Para as crianças, o que tem mais saída é o molho ao sugo com polpeta de carne, que pode acompanhar penne ou orecchiette, por exemplo. A porção para criança fica em R$ 37,00; para adulto, sai por R$ 48,00. “O lugar é bem tranquilo e espaçoso, dá para circular bem com o carrinho do bebê”, diz Gabriela. www.pasqualecantina.com.br @pasqualecantina.

Santinho do Museu da Casa Brasileira
Voltado para a área dos jardins do Museu da Casa Brasileira, o restaurante pode ser um ótimo programa para a família. “Depois de alimentadas, as crianças vão adorar brincar no gramado”, diz Daniela. Há uma estação de massas que sempre pode ser uma boa opção caso a criança não se anime com as opções de pratos do bufê, assinadas pela chef Morena Leite. O valor por pessoa é de R$ 59,00 por pessoa, durante a semana, e de R$ 91,00, nos finais de semana e feriados. Crianças de 5 a 10 anos pagam metade desse valor (até 4 anos não pagam). Melhores dias para ir são sábados, domingos e feriados, quando a entrada no museu é franca. De terças e sextas-feiras, a entrada inteira custa R$ 15,00 e a meia, R$ 7,50 (crianças de até 10 anos não pagam). www.restaurantesantinho.com.br @santinhorestaurante.

 

Deixe uma resposta

  • Cadastrar-se
Perdeu sua senha? Por favor, digite seu e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha via e-mail.