O que você procura?

Ervas e especiarias na alimentação saudável e saborosa

Adicionar ervas aromáticas e especiarias aos pratos que preparamos é uma ação quase automática, não é mesmo? Nem pensamos em quanto esse ato está carregado de história. Há séculos esses ingredientes são usados pelo homem para agregar sabor e melhorar a aparência das preparações. Muitas especiarias eram usadas até com fins medicinais.

E você sabia que elas têm relação com grandes acontecimentos que marcaram a história mundial? Sim, foi em busca de especiarias no Oriente que portugueses e espanhóis se lançaram ao mar nas grandes navegações e vieram dar nas Américas.

No caso das ervas aromáticas, em geral são usadas apenas as folhas, frescas ou secas. No time das mais usadas no Brasil são destaques salsinha, coentro (que divide os brasileiros entre os que amam e os que odeiam seu sabor marcante), manjericão, orégano, tomilho, alecrim, entre outras.

Já as especiarias são feitas a partir de partes secas das plantas (flores, frutos, sementes, caules, raízes ou seivas desidratadas). De sabor e aroma marcantes por conta da presença de óleos essenciais, elas têm grande durabilidade, preservando suas propriedades por longo tempo de estocagem. Nesse grupo estão pimenta-do-reino, noz-moscada, cravo-da-Índia, canela, anis-estrelado, gengibre, coentro em grão, mostarda, açafrão etc.

Delicadas e aromáticas

Para aproveitar ao máximo esses temperos maravilhosos, é preciso observar alguns cuidados. As ervas frescas, por exemplo, podem oxidar rapidamente quando picadas, em contato com o ar elas escurecem. Por isso, corte-as apenas na hora de adicionar ao preparo. Um truque para evitar a oxidação é regar a erva com um pouquinho de azeite antes de picá-la.

Quando acondicionados de forma adequada, esses temperos frescos preservam o valor nutricional e o sabor e o aroma originais de maneira mais eficiente do que as versões que passam por processamentos térmicos, como a desidratação. Veja algumas idéias de conservação:

Na geladeira:

  • Em plástico: coloque as ervas entre duas folhas de papel-toalha úmidas, dentro de sacos ou potes plásticos (com folga) e feche. Também é possível utilizar apenas o saco ou pote plástico.
  • Em copo: corte os caules diagonalmente, disponha num copo com água e cubra com um saco plástico folgado. Troque a água diariamente.

No congelador:

– Em gelo: coloque as folhas das ervas inteiras ou picadas numa fôrma de gelo vazia, preencha com água, cubra e congele.

– Em azeite de oliva: coloque as folhas das ervas inteiras ou picadas numa fôrma de gelo vazia, preencha com azeite de oliva, cubra e congele.

– Em saco plástico: coloque as folhas das ervas inteiras ou picadas em sacos ou potes plásticos, feche e congele.

Especiarias são mais duráveis

As especiarias são sempre encontradas secas. Seu uso na cozinha é praticamente ilimitado. Muitas já são vendidas em pó. Mas algumas vêm em grãos, caso da pimenta-do-reino, coentro e mostarda. São uma opção incrível para quem quer moer na hora ou mesmo adicionar os grãos inteiros ao preparo e aproveitar ao máximo o sabor e o aroma que liberam. Para guardar na despensa, use sempre potes fechados hermeticamente. Também não convém deixar esses temperos muito expostos à luz. Fique atento ao local da compra, à forma de armazenamento e ao prazo de validade.

Gostou? Salve este post e compartilhe:

  • Cadastrar-se
Perdeu sua senha? Por favor, digite seu e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha via e-mail.