As diferenças entre os tipos de tomate

As diferenças entre os tipos de tomate

Tomate não é tudo igual. Por isso, antes de começar uma receita é bem importante checar em qual ponto de maturação o ingrediente precisa estar, assim como conhecer o tipo de tomate ideal para cada preparação.

Para ajudá-lo nessa missão, selecionamos os tipos de tomate mais comuns à mesa e ainda contamos com a ajuda da chef Paula Belleza para explicar como utilizar cada um deles.

Carmem: menos aguado, mais firme e de sabor suave, é bom para saladas e para compor recheios.

Cereja: costuma ser mais adocicado e menos ácido do que a maioria. Pode ser servido tanto como aperitivo, quanto na salada. “Vai superbem em saladas, e eu gosto dele confitado. Também fica muito bom para um molho rápido de tomate, por ser mais doce”, conta Paula.

Caqui: tem bastante acidez e é mais indicado para ser comido cru e menos para compor molhos. “É o meu favorito para saladas, sendo que prefiro aqueles que não estejam nem tão maduros, nem tão verdes”, diz a chef.

Débora: tem acidez mais equilibrada e contém bastante água, por isso vai bem em molhos e para fazer tomate seco.

Italiano: de formato mais alongado e interior bem vermelho, é ótimo para molhos.

Quer acessar mais receitas sobre esse tema? Então, confira o ebook Tomates, por Paula Belleza, coleção Tá na Mesa.