O que você procura?

Autoconhecimento é primeiro passo para mudar hábitos alimentares

Seu projeto é o de finalmente conquistar uma rotina alimentar saudável? Então, antes de mudar o que coloca no prato, o primeiro passo é fazer uma reflexão sobre autocuidado para saber por onde começar esse processo?

Para ajudá-lo, apresentamos aqui a metodologia da Roda da Vida, uma ferramenta de identificação de pontos que precisam de mudanças e fortalecimento. Convívio social, aproximação familiar, finanças, relacionamentos afetivos, bem-estar, saúde e disposição estão entre os aspectos mais esquecidos por nós, e que acabam interferindo de forma negativa ou positiva em diversas frentes, inclusive na alimentação.

Claro que mudança é algo fácil de falar e extremamente difícil de aplicar. Essa ferramenta funciona como um facilitador porque ajuda a definir planos de ação eficientes, colocando cada coisa em seu devido lugar, trazendo mais harmonia, equilíbrio e bem-estar em todos os aspectos. A insatisfação numa área de nossas vidas desencadeia o rompimento de harmonia entre pontos positivos.

Todo o processo deve acontecer para que a roda “da sua vida” gire em total sintonia com seus sonhos e objetivos. É preciso obter 60% de satisfação em cada área analisada. Percentual abaixo disso é um forte indicativo de que o ponto avaliado está sendo negligenciado e precisa ser trabalhado com mais urgência.

Radiografia da vida

Em formato de mandala, o círculo da Roda da Vida (veja a figura 1) é composto pelos quatro pilares da existência humana: Âmbito Pessoal, Âmbito Profissional, Relacionamentos e Qualidade de Vida. Dentro de cada um deles encontramos três pontos essenciais, de um total de 12, que precisamos analisar. A avaliação consiste em dar notas de 1 (valor mínimo) a 10 (valor máximo) a cada uma delas. Dependendo da nota conferida, é possível identificar forças e fraquezas, pontos a fortalecer e pontos a melhorar. Para destacar bem, em vez de apenas riscar a nota, você pode pintar, construindo um mapa colorido de seu momento de vida (veja a figura 2).

FIGURA 1: PONTOS DE AVALIAÇÃO NA RODA DA VIDA

 

FIGURA 2: MODELO DA RODA DA VIDA PREENCHIDA


Como analisar a Roda da Vida

Com o mapa do seu momento de vida nas mãos, vem a pergunta que não quer calar: e aí, por onde começar?

Primeiramente, foque na tríade do pilar pessoal: saúde e disposição; desenvolvimento intelectual; e equilíbrio emocional. Mais especificamente, detenha-se em saúde e, aí, incluo a alimentação. Enumere algumas perguntas que podem ajudar a pensar em estratégias de melhoria (e responda com sinceridade!):

– Estou me alimentando bem?

– Estou conseguindo ir ao médico regularmente?

– Minha saúde mental está sendo nutrida por coisas boas?

– Estou feliz com meu corpo?

– Como tenho feito minhas refeições e escolhas alimentares?

Diante dessas questões, se as respostas apontarem para um rumo oposto aos objetivos que você deseja atingir, relembre o que tem feito para isso ser modificado. Acima de tudo, procure identificar que caminhos você tem repetido e que têm levado apenas a efeitos por um curto espaço de tempo, permitindo que os problemas retornem, muitas vezes com maior intensidade. Estamos falando daquelas atitudes desesperadas que tomamos em momentos de maior fragilidade, como aquelas famosas promessas de mudança de hábitos que fazemos sempre que começa um novo ano, ou a adoção das mais diversas dietas que são logo abandonadas ou a contratação de um plano anual na academia à qual acabamos indo apenas até o Carnaval (com muita sorte e força de vontade!).

Então, que tal começar aos poucos e pensar em sua saúde além do prato? Seja mais amoroso consigo mesmo e se proponha mudanças alcançáveis. Pense que o feito é melhor do que o perfeito. Valorizar as pequenas conquistas diárias, como beber mais água ou descer uma estação antes para caminhar um pouquinho a mais. De repente, agindo assim, as mudanças começarão a fazer mais sentido em seu dia a dia e se tornarão hábitos que você conseguirá manter por mais tempo, senão para sempre. Com isso, os resultados irão além de alguns quilos de peso perdidos ou alguns centímetros a menos no quadril. Temos que olhar para nossa saúde de forma mais ampla e amorosa. Como? É sobre isso que vamos falar no próximo capítulo!

Deixe uma resposta

Hmmmm você também pode gostar

  • Cadastrar-se
Perdeu sua senha? Por favor, digite seu e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha via e-mail.