O que você procura?

Bariátrica: a dieta a seguir nas diferentes fases após a cirurgia

Para o sucesso da cirurgia bariátrica e manutenção dos resultados, é imprescindível o acompanhamento contínuo de uma equipe multiprofissional especializada, conforme indicação do cirurgião. Cada especialidade propõe ao paciente um plano de cuidado importante nesse processo, que se inicia nas consultas pré-operatórias. São médicos, nutricionista, psicólogo, psiquiatra, enfermeiro, fisioterapeuta, educador físico, dentista, entre outros, que podem contribuir individualmente para um pós-operatório seguro e de qualidade. A seguir, vamos abordar alguns dos cuidados nutricionais principais que o paciente bariátrico precisa seguir nas primeiras etapas do tratamento.

Veja também:

– A preparação para a cirurgia e as dicas para cada fase do pós-operatório

Pré-operatório

Nessa fase, o paciente recebe todos os esclarecimentos nutricionais e sobre as mudanças que devem acontecer em sua alimentação. É fundamental a conscientização a respeito das várias etapas pós-operatórias pelas quais ele passará, como as mudanças na consistência dos alimentos, os cuidados nutricionais específicos do tratamento, suplementações que serão necessárias, entre outras questões.

A suplementação vitamínica e mineral pode ser iniciada já nesse momento no caso de pacientes que tenham alguma deficiência nutricional diagnosticada antes da cirurgia.

Além disso, é um momento importante para o início de mudanças comportamentais. Hábitos alimentares e de estilo de vida não são alterados de maneira imediata e, sim, no longo prazo. Esse processo pode ser facilitado com a introdução de metas gradativas, como a melhora na mastigação, hidratação, fracionamento das refeições e planejamento da prática de atividades físicas, que já devem começar antes da cirurgia. Mudanças como essas auxiliarão na manutenção do peso e da saúde alcançados, evitando a recidiva da obesidade.

Portanto, a avaliação pré-operatória visa o preparo nutricional para a cirurgia e o início das mudanças na alimentação e no estilo de vida, que prosseguirão ao longo do acompanhamento.

Pós-operatório

Após a cirurgia bariátrica, as porções de alimentos consumidas serão menores. Diminuindo a quantidade, deve-se valorizar a qualidade dessas porções para que forneçam ao organismo os nutrientes necessários.

Outro ponto crucial é a consistência dessa alimentação, que vai variar em cada etapa do pós-operatório, observando-se a necessidade individual de cada organismo, conforme segue:

 Primeiro mês pós-cirurgia

Nesse período de recuperação cirúrgica, o objetivo nutricional é facilitar o processo digestivo, com oferta adequada de nutrientes que favoreçam a cicatrização e a nutrição adequadas. Para tal, a conduta alimentar é dividida em duas fases:

  • Fase líquida (duração de cerca de 15 dias após a cirurgia, de acordo com a orientação da equipe médica que acompanha o paciente) – Nessa etapa, o objetivo é auxiliar na recuperação cirúrgica, com líquidos de fácil digestão e que favoreçam a adequada hidratação. Geralmente, a refeição é composta por caldos ralos, sucos coados, chás claros, entre outras bebidas.
  • Fase pastosa (duração de cerca de 15 dias após a fase líquida) – Aos poucos a alimentação vai se tornando mais consistente e os líquidos menos ralos. É nessa etapa que são liberados alimentos cremosos e pastosos, mantendo opções que favoreçam a adequada cicatrização cirúrgica. O cardápio costuma ser composto por sopas cremosas, iogurtes, purês de frutas e de legumes, entre outros alimentos.

O que pode entrar no cardápio

Fase pastosa

Manter os itens liberados na fase líquida (que podem ser apresentados na consistência cremosa e pastosa) e incorporar mais os itens da tabela abaixo.

Após o primeiro mês

Em geral, a partir desse momento o organismo já está apto a receber a alimentação sólida, com liberação gradativa dos alimentos de digestão mais difícil, conforme tolerância alimentar individual observada na recuperação cirúrgica. Vale lembrar que os tipos e quantidades de alimento, a duração de cada etapa da alimentação e suplementos nutricionais que a complementam devem seguir orientação individualizada por parte da equipe multiprofissional e pelo nutricionista que acompanha o paciente nas consultas pré e pós-operatórias.

Com a cirurgia, a ingestão de nutrientes passa a ser menor e a absorção de alguns deles é modificada em determinadas técnicas, seja por desvio da passagem dos alimentos por uma área do intestino e/ou por menor secreção de enzimas e sucos digestivos que auxiliam na sua absorção. Por isso, mesmo como uma rotina alimentar adequada, toda pessoa submetida a cirurgia bariátrica deve fazer uso da suplementação de vitaminas, minerais e proteínas, complementares à sua alimentação a longo prazo. As deficiências nutricionais podem ser assim prevenidas e, se ocorrerem, devem ser corrigidas o quanto antes. Também é importante a realização dos exames laboratoriais de rotina para checagem dos níveis de nutrientes no organismo, pois os sintomas da carência de determinados nutrientes são perceptíveis somente em fases mais evoluídas.

Todos os nutrientes têm relevância para o equilíbrio do organismo. Alguns, entretanto, merecem monitoramento mais próximo no pós-operatório da cirurgia bariátrica e metabólica. São eles: proteína, ferro, ácido fólico, vitamina A, D, E, K, vitaminas do complexo B e minerais como zinco, cálcio, selênio, magnésio e cobre. Eles apresentam diferentes funções de extrema relevância, como protetores da saúde neurológica, muscular, óssea, sanguínea e reprodutora. A carência de alguns desses nutrientes pode causar sintomas temporários que são tratáveis com suplementação corretiva. Mas em outros casos é preciso cuidado redobrado, pois há um risco maior de levar a quadros irreversíveis, como o da osteoporose decorrente da falta de cálcio e vitamina D no organismo. Daí a importância de atuar preventivamente com adequada alimentação e suplementação pós-operatória, bem como o monitoramento contínuo com reavaliações da equipe multidisciplinar.

Também é fundamental a continuidade dos cuidados para se evitar a recidiva da obesidade, levando-se em conta que são diversos os fatores que contribuem para o seu desenvolvimento. De maneira geral, a prevenção pode sempre envolver mudanças no estilo de vida, visando práticas alimentares saudáveis e de atividade física, como já citado, desde o pré-operatório. E é sempre é bom lembrar que, para orientações individualizadas da alimentação e atividade física, deve-se sempre procurar um profissional nutricionista ou educador físico, respectivamente.

 

 

 

Deixe uma resposta

Hmmmm você também pode gostar

  • Cadastrar-se
Perdeu sua senha? Por favor, digite seu e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha via e-mail.