Boas razões para ampliar o consumo de abacate


Planta típica dos trópicos, o abacateiro é originário da América Central, mais precisamente do México. Ele já era amplamente cultivado antes da chegada dos espanhóis ao continente, mas só começou a ganhar o mundo no século 19, quando seu cultivo se espalhou por diversas regiões de clima tropical e subtropical.

A fruta de polpa tenra sempre foi bastante utilizada nos países do norte da América do Sul e na América Central. Especialmente no México, onde está presente em diversos preparos culinário, doces e salgados, a exemplo do guacamole.

No Brasil, toda a versatilidade do ingrediente começou a ser explorada mais recentemente. Motivos não faltam para isso. Essa fruta saborosa entrega uma cesta rica de nutrientes, como vitaminas C e E, ácido fólico, potássio, ferro, magnésio e vitamina B6, entre outros.

Apresenta também alto teor de ácidos graxos, ou seja, gorduras, especialmente a monoinsaturada, mais benéfica para a saúde – e está aí justamente o segredo de sua cremosidade. Por isso, durante algum tempo, acreditava-se que o abacate deveria ser excluído da dieta de quem lutava contra a balança. Estudos recentes mostram que é justamente o contrário: ele ajuda a controlar o peso. Isso porque a combinação da gordura com as fibras também presentes na fruta ajudam a aumentar a sensação de saciedade e proporcionam um esvaziamento gástrico mais lento. Ou seja, saciada por mais tempo, a pessoa não come tanto.

As pesquisas sugerem ainda que o abacate pode ser um bom amigo do coração, pois contribui para equilibrar as taxas de colesterol. A combinação da gordura monoinsaturada com os fitosteróis presentes na fruta combate processos inflamatórios, protegendo as artérias.

Tem abacate o ano inteiro

O melhor de tudo é que não falta abacate para aproveitar todos esses benefícios. Existem mais de 500 variedades dessa fruta. Os nutrientes estão todos lá, o que muda de uma variedade para outra são a cor da casca, o tamanho e o tipo de polpa.
Há também variação no período da safra. Nas feiras e nos mercados é comum encontrar a plaquinha identificando o abacate “manteiga”. Esse é o nome popular para variedades que saem cedo, como o Geada. No Brasil, são cultivadas sete variedades dessa fruta, o que permite encontra-la nos mercados o ano inteiro. Confira quais são elas e a melhor época para consumi-las:

  • Breda – do final de agosto ao início de janeiro

Tem casca lustrosa, pesa entre 400 g a 600 g e apresenta um teor de gordura de 12%.

  • Fortuna – do final de janeiro ao início de agosto

A casca lisinha e de verde intenso envolve a polpa amarela e adocicada. Contém cerca de 7% de gorduras, cada fruto chega a pesar até 1 kg.

  • Geada – de novembro a fevereiro

Com baixo teor de gordura, em torno de 3%, é ideal para preparo de cremes e sobremesas.

  • Margarida – de maio a novembro

De formato redondo, casca rugosa e polpa verde-clara e fibrosa é indicada para o preparo de saladas. Seu teor de gordura fica em torno de 10%.

  • Ouro Verde – do final de maio ao início de setembro

Bom para fazer sobremesas, sucos e cremes, tem casca de um verde intenso e 8% de teor de gordura.

  • Quintal – do final de fevereiro ao início de agosto

Com casca verde lisinha, sua polpa cremosa vai superbem no preparo de smoothies e sucos. É um dos maiores, peso 900 g em média e conta com 10% de gordura.

  • Avocado (Hass) – de fevereiro a setembro (produção nacional)

Bem menor do que os outros tipos, tem casca escura quando amadurece. A polpa esverdeada e de consistência amanteigada é ideal para o preparo do guacamole. Seu teor de gordura é de 20%.

 

Fontes:

Associação Brasileira dos Produtores de Abacate – www.amoabacate.com.br

Revista Saúde, no link: https://saude.abril.com.br/alimentacao/o-abacate-arrasa-veja-os-beneficios-e-como-inclui-lo-nas-refeicoes/

Gostou?
Salve esta materia e compartilhe:

Você pode gostar também:

  • Cadastrar-se
Perdeu sua senha? Por favor, digite seu e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha via e-mail.