O que você procura?

Conheça os vários métodos de coar café e escolha o seu

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O cafezinho espresso já reinou soberano entre os fãs da bebida. Agora, voltara à moda os coados.  Fato é que os amantes da bebida têm à disposição diferentes métodos de extração. Cada um ressalta a seu modo as características dos grãos especiais. Boa parte desses métodos é encontrada em cafeterias que exploram esse nicho. Mas, se você quiser variar um pouco, também pode experimentá-los em casa, alternando com o método tradicional do coador. A seguir, apresentamos os principais métodos de extração e suas características.

Coador de papel ou de pano
O velho jeito de fazer café em casa aparentemente não tem segredos, certo? Engano! Sempre há dicas para fazer um café mais perfeito. No caso do filtro de papel, não custa lembrar que ele precisa ser do mesmo tamanho e formato do porta-filtro. Antes de colocar o pó de café, escalde-o para tirar o gosto residual e o cheiro de papel e descarte a água que passar para a jarra. Coloque o pó e o espalhe uniformemente, mas sem compactá-lo. Adicione a água quente em três etapas. Primeiro, molhe o pó em movimentos circulares das bordas para o centro. Em seguida, despeje mais água lentamente seguindo o mesmo movimento e espere o ritmo dos pingos se tornar mais espaçado. Finalize adicionando o restante da água. Lembre-se: a proporção ideal é de 15 g para 250 ml de água. O procedimento é similar para o coador de pano. A diferença é que esse tipo de coador pode ser reutilizado, mas não indefinidamente. Segundo os especialistas, ele pode ser usado no máximo por um mês.

Hario V60
Método japonês, é uma espécie de up grade do café coado. Em formato de cone, o suporte para coador de papel pode ser feito de cerâmica, vidro ou cobre, materiais que mantêm a temperatura da água elevada por mais tempo. Na parte interna, há linhas espirais ou veios que facilitam o fluxo da água até a xícara e proporcionam a expansão do pó de café. Diferentemente dos suportes convencionais, que possuem vários furos pequenos na base, o V60 tem apenas uma abertura maior, que permite controlar a velocidade de preparo da bebida. O filtro de papel também é diferenciado: em forma de cone, permite uma filtragem mais homogênea. Tudo isso contribui para a extração de uma bebida limpa de resíduos e de sabor mais suave. Nesse caso também vale a dica de escaldar o filtro antes de coar o café para evitar o gosto residual do papel.

Aeropress
Técnica desenvolvida nos Estados Unidos, tem como base um utensílio que combina o método coado com o de pressão. Basicamente é composto por um tubo, onde é colocado o filtro (de papel ou de metal), o café e a água. Em seguida entra em cena outra peça-chave, um êmbolo, que faz a pressão necessária para extrair a bebida. Com isso, o resultado final é um café com textura semelhante a um coado comum (com menor acidez), mas com características de um espresso (mais intenso).

Prensa francesa
Como na Aeropress, nesse equipamento a pressão também exerce função central. O pó de café e a água são colocados separadamente dentro de um cilindro. Por meio de pressão, um êmbolo mistura e depois separa os dois. A bebida resultante é mais encorpada, uma vez que retém sedimentos e óleos do café.

Cafeteira italiana ou moka
Composta por três peças, tradicionalmente feitas de alumínio: são duas câmaras separadas por um filtro. Na câmara inferior é colocada a água que ao ser aquecida passará pelo filtro, onde se deposita o pó de café, produzindo a bebida que subirá para a câmara superior. Dicas importantes: tire a cafeteira do fogo quando a água começar a subir; e, antes de servir, mexa a bebida na parte superior da cafeteira para uniformizar sua densidade.

Espresso*
O princípio básico da máquina de espresso está no uso da água sob alta pressão para produzir a bebida. Consiste em uma técnica delicada, que envolve a moagem do grão, a forma como o pó é prensado no filtro, a temperatura, a pressão e o tempo empregados na extração da bebida. Todos esses elementos precisam estar bem alinhados para se obter uma bebida com a cremosidade e a intensidade ideais, aroma forte e uma cobertura de creme marrom-claro de 3 a 4 mm de espessura. Se o pó for pouco compactado no filtro, por exemplo, o café não sai cremoso. Por outro lado, se ele for muito compactado, resultará em uma bebida muito concentrada.

* Espresso: palavra italiana que designa a bebida obtida por meio da passagem da água sob pressão através de uma camada de café.

Deixe uma resposta

  • Cadastrar-se
Perdeu sua senha? Por favor, digite seu e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha via e-mail.